A avaliação de carros é uma parte muito importante do processo de vendas, e qualquer um que queira trocar seu veículo se preocupa muito com isso. A situação mais normal que ocorre é a diferença entre os números esperados pelo vendedor e o real valor de mercado do carro, o que pode, em algumas situações, até inviabilizar todo o processo.

Pensando nisso, é extremamente normal que as pessoas fiquem com dúvidas sobre como fazer essa avaliação, em quem confiar e qual o real valor de seu automóvel. Para fazer uma boa negociação — aquela em que tanto você quanto o comprador saem contentes —, é necessário ter o máximo possível de informações sobre o mercado e seu veículo, fazendo com que os valores sejam justos e atendam às expectativas de todos os envolvidos.

Para isso, é claro que se faz preciso dedicar um pouco de tempo para estudar todos esses fatores, ainda que ao final do processo este tempo possa representar grandes quantias de dinheiro em seu bolso. Por conta disso, nos parágrafos abaixo você poderá entender todos esses fatores que envolvem a negociação de um veículo, qual a importância de cada uma e, por fim, como fazer um bom negócio com seu querido automóvel.

O valor emocional de um carro

Todos aqueles que possuem um carro em sua garagem sabem a dificuldade que é ter aquele bem estacionado calmamente em sua casa. O que ocorre é que os preços praticados no Brasil são extremamente altos — especialmente quando comparados com outros locais, como Estados Unidos e Europa. Assim, cada um sabe onde o calo aperta, sendo que, nesse caso, o calo muitas vezes é aquele boleto que vence todo santo mês.

Além de todo o processo de adquirir o veículo ser difícil, também há o desafio de manter seu carro bem conservado, visto que a manutenção deve ser constante e, com isso, mais boletos se acumulam em sua mesa. Documentação, troca de peças, gasolina, IPVA e seguro  são apenas alguns dos gastos que vem junto com seu tão sonhado veículo, e que tornam o desafio de ter um carro ainda maior.

Com tudo isso sendo levado em consideração, ainda existe o apego emocional aos tais  amigos de quatro rodas, que muitas vezes ficam com seus donos por tanto tempo que acabam se tornando quase que da família. São tantos momentos que se passam juntos, tantos perrengues e situações incríveis que o valor emocional desse bem acaba sendo infinitamente maior que o que os outros querem pagar por ele.

Mas lembre-se que esse valor emocional é somente seu, e não faz parte da avaliação de mais ninguém.

O valor de mercado de um carro

Indo na contramão de tudo que foi dito nos parágrafos acima, o vendedor se depara com o valor de mercado do carro, ou seja, o que os compradores estão dispostos a pagar por aquele veículo. Na grande maioria das vezes, é nesse momento em que a situação complica, visto que os números apresentados são bem mais baixos que aqueles esperados pelo vendedor por seu querido bem.

Para se ter uma ideia, são diversos os fatores que são considerados para se chegar a esse valor e que, frequentemente, se mostram bastante válidos e lógicos se você conseguir analisar o lado racional, e não emocional da negociação. Entre tais argumentos, alguns são bastante constantes e valem para todos os veículos, enquanto outros podem ser mais específicos de uma categoria, marca, modelo, ano de fabricação ou qualquer outro aspecto do veículo.

Entre os mais comuns, a quilometragem do automóvel é um que se destaca bastante, assim como os opcionais que o veículo apresenta, seu estado de conservação e se já houve algum tipo de acidente envolvendo o carro. Além disso, algumas marca podem oferecer uma desvalorização maior pela falta de interesse de compradores ou pelo valor da manutenção, certas cores são mais difíceis de revender — o que também reflete no preço —, certos modelos não têm tanto mercado, ou ainda alguns anos de fabricação apresentam problemas de lote.

Como pode ver, são diversos os fatores que influenciam na avaliação de um carro usado.

A avaliação do comprador

Um fator que pode interferir bastante no valor de avaliação de seu carro usado é o cliente para quem você irá vender. Isso ocorre porque, de acordo com o tipo de comprador, a visão é diferente, as necessidades idem e os interesses podem ser completamente contrários. E, como você já deve ter percebido, tudo isso influencia diretamente no montante que você receberá ao final da negociação.

Para quem pretende vender para uma loja, é extremamente importante entender que eles vão precisar colocar a margem de lucro deles antes de revender a outro cliente e, naturalmente, essa margem vai sair do valor que será pago a você. Por conta disso, geralmente o valor oferecido por lojas ou concessionárias é bastante inferior ao que você espera por seu veículo.

Já se você quiser vender seu carro para um consumidor final, é possível colocar o valor mais próximo ao da Tabela FIPE — já fizemos um texto completo sobre ela em Você sabia que a tabela de preços de carros usados se baseia em dados do passado? —, ainda que mesmo assim possa haver uma negociação.

Além disso, ainda pode haver divergência quanto à avaliação feita pelo comprador por diversos outros motivos. Se o cliente perceber que será preciso trocar os quatro pneus, por exemplo, obviamente ele tentará tirar esse custo do valor pago no veículo, assim como se houver um risco ou amassado em seu automóvel.

A avaliação do vendedor

Com tudo isso explicado, agora sim é possível falar do tema principal deste texto, focando em como você pode fazer a avaliação de seu carro de forma que fique justo para você e para o comprador. Para isso, há algumas maneiras de trabalhar, as quais serão explicadas mais abaixo.

Levar a uma Loja

Se você está completamente perdido quanto ao valor de seu carro, ou ainda só está curioso e não tem uma real necessidade de vender o veículo, uma opção bastante viável para descobrir, mais ou menos, o valor de seu automóvel é leva-lo a uma loja e pedir uma avaliação. Normalmente, tanto lojas quanto concessionárias somente a farão se você estiver interessado em pegar um outro veículo na troca, dando o seu como entrada então.

Ainda assim, é preciso lembrar do que foi dito alguns parágrafos acima e considerar que esse é um valor válido somente para vendas para lojas, e não para consumidores finais. Sabendo disso, não considere nunca esse valor se seu plano é simplesmente colocar seu carro em algum classificado de jornal ou aplicativo de vendas.

Analisar em aplicativos de venda

Outra maneira bastante simples de verificar o valor de seu carro, e que traz resultados bem reais, é fazer uma pesquisa por aplicativos de venda de veículos, considerando sempre modelos o mais próximo possível do seu, tanto em questão de ano de fabricação quanto de quilometragem, opcionais e até cor.

Esta é uma forma interessante para conseguir não necessariamente a avaliação precisa de seu automóvel, mas sim de verificar a concorrência e entender qual o valor pedido por um carro como ele. Provavelmente você encontrará algumas divergências, então tente utilizar uma média dos valores encontrados para precificar seu bem.

Procurar na Tabela FIPE

A Tabela FIPE é, hoje em dia, a principal forma de se fazer a avaliação de carros no Brasil, visto que não somente ela é a mais imparcial — por ser feita por um instituto sem fins lucrativos —, quanto também é a mais utilizada por todos que trabalham com esse mercado, contando tanto lojistas, seguradoras, e até mesmo o governo na hora de calcular seu IPVA.

Descobrir o valor de seu veículo através dela é bastante fácil, especialmente se você seguir os passos descritos no texto que explicamos sobre ela — aquele citado um pouco acima. Ainda assim, é necessário deixar claro que ela apresentará somente um valor de referência para você, e não um preço bruto. Sendo assim, é possível praticar preços mais baixos ou altos aos vistos na tabela, dependendo muito do seu carro para isso. 

A avaliação de carros usados

Com todo esse conhecimento adquirido, agora você já e capaz de descobrir o valor de qualquer veículo por aí, bastando somente ter algumas informações básicas sobre ele. Como pôde ver, o processo é simples, mas pode te dar diversos resultados, cabendo a você definir um preço mediano entre todos os valores que você encontrar em sua busca.

Agora, o próximo passo é praticar esse conhecimento e iniciar a avaliação de carros de seu interesse, descobrindo assim tanto o valor deu seu veículo quanto o daqueles que você quer comprar. Aproveite e deixe abaixo seu comentário sobre esse texto, assim como qualquer dúvida ou sugestão que você possa ter. Não se esqueça também de seguir a Carprix em nossas redes sociais para ficar sempre a par do mercado automotivo e tudo o que acontece nele!


Conta pra gente o que você achou!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *