Todos sabem que a venda de carros usados no Brasil é muito grande, até porque, em um país com mais de 200 milhões de habitantes, é normal que esse mercado seja gigante. Ainda assim, muitos desconsideram diversos fatores dentro desse tema, e que podem aumentar ainda mais tais números, chegando a valores impressionantes e que vão te fazer prestar mais atenção ao veículo em sua garagem.

Vários são os motivos que fazem o mercado de veículos usados ser maior que o de carros 0km, como o alto valor dos automóveis novos — ainda mais nos últimos anos, período em que os preços têm disparado —, todo o custo com documentação, a quantidade de opcionais  de veículos mais velhos e, principalmente, o custo benefício quando se pensa no modelos que é possível adquirir com o mesmo montante nos mercados de novos e usados.

Com tudo isso em mente, chega-se então aos números de venda de carros usados no Brasil, assim como um comparativo com os mesmos números de veículos novos. Com isso, é possível fazer uma análise dos últimos anos e uma projeção para o que pode ocorrer no futuro.

 O mercado de veículos novos no Brasil

Com toda a crise econômica que o Brasil passou nos últimos anos, naturalmente o poder de compra do consumidor caiu, o que afetou diretamente a venda de veículos no país. Além disso, no mesmo período também houve uma grande mudança nos hábitos de consumo do brasileiro que, seguindo o que já se via em mercados como o americano e o europeu, passou a trocar seus hatches médios e sedãs por SUVs compactos. Com isso, o público dos crossovers cresceu drasticamente em pouco tempo.

Sabendo de tudo isso, as montadoras tiveram que rever suas estratégias para alcançar seus clientes, focando no lançamento de novos modelos que se encaixem nessa necessidade do consumidor e, ao mesmo tempo, convençam as pessoas que vale a pena fazer esse investimento em um momento tão conturbado da economia. As mudanças funcionaram para alguns fabricantes, enquanto outros entraram de cabeça na crise.

Com todos esses fatores em jogo, as vendas de veículos novos — automóveis + comerciais leves — passaram dos 3 milhões e 600 mil no ano de 2012 para pífios 1 milhão e 800 mil em 2016, segundo dados da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores). Uma queda de 50% em apenas 4 anos.

Após essa grande queda, o mercado conseguiu se levantar aos poucos — ainda que longe do patamar visto no início da década de 2010 —, apresentando crescimento nos dois anos seguintes. Ainda segundo a Fenabrave, em 2017 foram comercializados cerca de 2 milhões e 100 mil automóveis, enquanto 2018 fechou em torno de 2 milhões e 400 mil veículos.

Mesmo com o crescimento, o Brasil passou do 4º maior mercado automotivo do mundo em 2012 para o 8º em 2018, atrás de países como China, Estados Unidos, Japão, Índia, Alemanha, Reino Unido e França.

O mercado de veículos usados no Brasil

Assim como o mercado de carros novos, o de seminovos e usados também apresenta um crescimento nos últimos anos. A diferença que ocorre diz respeito aos montantes apresentados. Se considerar apenas os cinco primeiros meses do ano, em 2018 foram vendidos mais de 4 milhões e 200 mil veículos, quase o dobro do que foi emplacado de carros novos em todo o ano.

Em 2019, os dados até maio apresentam um número de mais de 4 milhões e 300 mil veículos usados vendidos, com um crescimento de 1,09% em comparação com o mesmo período do ano anterior.

Para se ter uma ideia melhor, a Fenabrave disponibilizou dados em seu Anuário 2018 — que você pode visualizar e/ou baixar aqui — sobre a idade dos veículos vendidos, e eles apontam por uma preferência dos compradores por carros que possuem entre 5 e 8 anos de uso, que representam cerca de 33% de todas as vendas. Para se fazer uma comparação, automóveis com 1 a 4 anos de uso foram escolhidos por apenas 12% dos consumidores.

Ainda assim, esses dados também demonstram que mais de 53% de todos os usados vendidos no ano de 2018 possuíam até 9 anos de uso, o que significa que 47% do mercado ainda se resume a veículos com 10 anos ou mais de utilização, que já são considerados pela Fenauto (Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores) como carros antigos.

Para finalizar, o Anuário de 2018 da Fenabrave ainda permite entender que a idade média dos carros brasileiros — considerando toda a frota de cerca de 58 milhões de automóveis — é de 14,8 anos, sendo essa uma idade bastante elevada para um veículo. O valor tido em 2017 foi de 14,4, o que demonstra a preferência do consumidor brasileiro por carros usados frente aos novos nos últimos meses.

Os números que comprovam

Focando no tema principal deste texto, chega-se então ao tão falado número de vendas de usados ser quatro vezes maior que o de veículos novos. Essa conta é também explicada no Anuário da Fenabrave, demonstrando que a proporção entre a venda de carros usados e emplacamento de novos ficou, em 2018, no valor de 4.4, considerando aqui o Brasil inteiro — número que foi de 5.0 em 2017.

Desvendando um pouco melhor essas informações, é possível perceber que a região em que esse valor é maior é no Sul, com uma proporção de 5.7 carros usados vendidos para cada 1 veículo novo emplacado. Ainda assim houve uma queda frente ao ano anterior, visto que em 2017 o valor estava em altos 6.5. A região sudeste apresentou uma proporção de 4.5 em 2018, sendo a segunda com o índice mais alto, ficando à frente de Centro-Oeste, Nordeste e Norte, com 3.7, 3.6, e 2.9, respectivamente.

Com isso, se faz possível analisar que quanto mais ao sul, maior é a proporção, ainda que também se deva levar em consideração a frota bem maior dessas regiões, visto que o Sudeste detém mais de 54,0% da frota brasileira, enquanto a região Sul representa cerca de 21,2% do total de carros do país.

A venda de carros usados só cresce

Com esses dados em mãos, agora você já pode ter uma noção do tamanho do mercado de carros usados no Brasil e, portanto, entender como este é um nicho em que podem ocorrer muitos negócios. Se você está procurando por uma boa oportunidade de negociação, talvez seja o momento de se arriscar nele, visto que público para seu carro você já percebeu que não somente existe, como é bastante grande.

Pensando dessa forma, verifique se seu veículo usado não pode ser parte de uma troca por um mais novo, ou ainda se ele não pode representar aquele alívio em suas finanças que você tanto precisa. Para isso, um passo interessante é fazer a avaliação de seu carro — algo que você pode aprender em Qual a melhor maneira de fazer a avaliação de carros? — e descubra quanto vale seu automóvel. Dependendo do valor que você encontrar, talvez seja hora de fazer um upgrade em sua garagem.

Com todo esse conhecimento, você já está sabendo tudo sobre a venda de carros usados no Brasil, restando apenas entrar de cabeça nesse mercado e tentar lucrar o máximo possível, através de muita informação e boas negociações. Deixe abaixo seu comentário sobre esse texto, assim como qualquer dúvida ou sugestão que você possa vir a ter. Não se esqueça também de seguir a Carprix nas redes sociais para sempre ficar sabendo em primeira mão das novidades desse nicho.


Conta pra gente o que você achou!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *